quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Aeromóvel linha zona leste (trf4 - campus do vale)

Pergunto: qual seria o grau de utopia de se fazer isso em Porto Alegre?


terça-feira, 22 de setembro de 2015

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Eis o plano real

Em primeiro lugar, as variáveis que interessam primariamente para o regime de metas de inflação: taxa de juros - Selic, índice de inflação acumulada em 12 meses - IPCA, taxa de câmbio média no mês - US$ - e resultado nominal do setor público consolidado - União, Estado e Municípios - com sinal trocado em relação ao PIB, ou seja, o valor 4 no gráfico representa um déficit nominal de 4% do PIB acumulado em 12 meses) - NFSP.



Adicionalmente, um gráfico mais completo, com mais duas variáveis importantes: gasto com juros da dívida em relação ao PIB e o volume de reservas cambiais em milhões de dólares (divido por 10.000, ou seja, o valor 32 no gráfico representam 320 bilhões de dólares).



Importante notar que:

  1. em 1994 houve a Crise econômica do México de 1994, a qual impôs condições desafiadores para o início do Plano Real;
  2. em 1997 houve a Crise financeira asiática de 1997, a qual teve impactos no Brasil, que foi forçado a elevar a taxa de juros a 45% a fim de conter a fuga de capitais;
  3. em 1998 houve a Crise financeira na Rússia em 1998, a qual teve impactos no Brasil, que foi novamente forçado a elevar a taxa de juros a 45% a fim de conter a fuga de capitais, mais forte que na crise de 1997, e que impôs ao Brasil o fim do regime de câmbio fixo e a consequente adoção do regime de metas de inflação com câmbio flutuante;
  4. em 2003 Lula assumiu a presidência do Brasil;
  5. entre 2006-2008 houve a Crise do subprime (2006-2008) nos EUA com a consequente Grande Recessão (2008-);
  6. em 2009 houve a Crise da dívida pública da Zona Euro (2009-), em consequência da crise do subprime nos EUA.

Cronologia dos anos 90

Abaixo segue evolução do indicador dívida/pib para a economia dos EUA.


Evolução histórica da taxa de juros dos EUA.

  

Evolução histórica da taxa de inflação dos EUA.


Mesmos indicadores para o Japão.




Segue cotação do real em todo o período do câmbio flutuante em comparação com a flutuação do índice DXY (dólar contra cesta de moedas internacionais).


.

sexta-feira, 24 de julho de 2015


Túnel novo acesso ao Ratones e Ingleses do Rio Vermelho


Arco rodoviário de Tubarão

Retirar do eixo Tubarão-Capivari de Baixo o tráfego pesado e leve que quer apenas cruzar a mancha urbana.


Trecho que hoje é feito com 29 km passaria a ser feito com 25 km.


Nova ponte Jurerê-Tijuquinhas

Ponte pista simples.


Túnel e nova ponte sul da ilha-pinheira

Sugestão de pequena intervenção local para melhorar a simbiose entre o sul da ilha e a enseada da Pinheira: túnel com pista simples ligando a praia dos Açores ao Ribeirão da Ilha e ponte pista simples de acesso local fazendo a ligação com o continente.


Nova ponte Palhoça-Florianópolis

Acesso direto à UFSC e ao centro de Floranópolis sem precisar passar pela BR 282 via expressa.


Alternativamente, é possível seguir a sugestão abaixo.


Adicionalmente, com a ligação da Beira-mar norte da ilha com a do continente, é possível fazer uma combinação das três sugestões.


Arco rodoviário de Florianópolis

Sugestão para retirar o tráfego pesado e leve que vem do sul/norte com o único objetivo de cruzar a capital para o norte/sul.

Hoje o trajeto de 64 km é feito passando por dentro da mancha urbana.


Abaixo sugestão de contorno com os mesmos 64 km fazendo uso extensivo de túneis e com, no máximo, 3 acessos: cruzamentos com a br 282, sc 407 e rodovia major livramento.


Acredito que esta sugestão tem um impacto mais positivo no dia-a-dia da capital do que esta proposta.

domingo, 12 de julho de 2015

Aeromóvel, uma possibilidade

Sugestão de ligação do Hospital de Clínicas de Porto Alegre à estação Mercado do Trensurb, passando pela Usina do Gasômetro, Receita Federal, Escola Técnica Parobé/Procergs/CAFF, Largo da Epatur, Campus Centro da UFRGS e Av. Oswaldo Aranha/Auditório Araújo Viana num total de 8 estações com distância média entre elas de 676 metros. 


Sem descartar possíveis prolongamentos, seja pela própria Av. Protásio Alves, seja pela Av. Nilo Peçanha, seja Rua Ramiro Barcelos.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

CARREIRA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL (SUBSÍDIO)


CARREIRA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL (SUBSÍDIO)






carreira juiz



2015 2019


31  R$   33.526,35  R$   40.667,46 ministro tribunal superior

30  R$   31.929,86  R$   38.730,92 juiz tribunal regional

29  R$   30.409,39  R$   36.886,59 juiz federal II

28  R$   28.961,32  R$   35.130,08 juiz federal I

27  R$   27.582,21  R$   33.457,22 juiz substituto







carreira analista
cj5  R$         7.072,00

2015 2019
cj4  R$         6.072,00
26  R$   24.194,48  R$   29.347,90
cj3  R$         5.072,00
25  R$   23.838,25  R$   28.915,80
cj2  R$         4.072,00
24  R$   23.492,69  R$   28.496,63
cj1  R$         3.072,00
23  R$   23.157,52  R$   28.090,07


22  R$   22.832,37  R$   27.695,66


21  R$   22.517,00  R$   27.313,12


20  R$   22.211,07  R$   26.942,03
ana 26 + cj5  R$      36.419,90
19  R$   21.914,33  R$   26.582,08
ana 26 + cj4  R$      35.419,90
18  R$   21.626,50  R$   26.232,94
ana 26 + cj3  R$      34.419,90
17  R$   21.347,32  R$   25.894,30
ana 26 + cj2  R$      33.419,90




ana 26 + cj1  R$      32.419,90
carreira tecnico



2015 2019


16  R$   19.173,75  R$   23.257,76


15  R$   18.902,89  R$   22.929,21


14  R$   18.640,20  R$   22.610,56


13  R$   18.385,39  R$   22.301,48


12  R$   18.138,20  R$   22.001,64


11  R$   17.898,48  R$   21.710,86


10  R$   17.864,83  R$   21.670,04


9  R$   17.633,28  R$   21.389,17


8  R$   17.408,67  R$   21.116,72


7  R$   17.190,76  R$   20.852,39


6  R$   16.979,43  R$   20.596,05


5  R$   16.774,46  R$   20.347,42


4  R$   16.575,61  R$   20.106,21


3  R$   16.382,72  R$   19.872,24


2  R$   16.195,65  R$   19.645,32


1  R$   16.014,16  R$   19.425,18








obs: É VEDADO O ACRÉSCIMO DE QUALQUER VALOR MONETÁRIO AO SUBSÍDIO, exceto diárias

terça-feira, 9 de junho de 2015

Melhorias viárias em Porto Alegre, algumas singelas sugestões

Prolongamento da Nilo Peçanha, passando pela Alberto Pasqualini criando nova rota para a Zona Norte e Viamão/Alvorada.

Túnel prolongando a Av. Antônio de Carvalho criando nova rota para Belém Velho Rincão e Restinga.

Túnel no morro Apamacor criando nova rota para a Vila Nova e Belém Velho, desafogando o eixo av. Cavalhada (inclusive melhora o acesso ao Alphaville Porto Alegre).

domingo, 22 de março de 2015

Best Seller

Sento em frente ao computador. Penso. Penso. O que escrever? Pode ser futebol, sexo, filosofia. Não sei. Tenho esperança. Algo de bom deve sair. Seria interessante viver apenas da escrita. Ter uma vida dedicada a você, leitor. Pense comigo: vender um best seller na China ou na Índia. Digamos que 1% da população de cada um desses países comprasse uma cópia de um livro meu. Seriam aproximadamente 25 milhões de cópias vendidas. Se meu lucro fosse de 10 dólares para cada cópia eu teria uma arrecadação de 250 milhões de dólares! Essa ideia tem feito eu dedicar meu tempo à escrita. Sério. Eu preciso vender um best seller mundial. No Brasil já seria bom, vender 10 milhões de cópias com um lucro de 10 reais por cópia já me renderiam 100 milhões de reais. Seria a minha aposentadoria. De meu emprego profissional, é claro. Pois, na verdade, eu estaria apenas começando a minha vida sem dificuldades financeiras. Afinal, eu não iria querer parar com apenas um best seller. Porque não vender dois, três, quatro best sellers? Faça as contas, já mostrei o caminho.

domingo, 15 de março de 2015

Sobre a (enigmática) arte de se relacionar

Qual a coisa mais importante na (enigmática) arte de se relacionar com as outras pessoas? O eco. Sim, o eco.

Do wikipedia: "um eco é uma reflexão de som que chega ao ouvinte pouco tempo depois do som direto."

Ainda do wikipedia: "Em física o fenômeno da reflexão consiste na mudança da direção de propagação da energia. Consiste no retorno da energia incidente em direção à região de onde ela é oriunda, após entrar em contato com uma superfície refletora."

Agora a minha reflexão, esta sim, no sentido da psicologia (mais uma vez, do wikipedia: "Refletir é pensar, abordar um tema, que nos intriga, por vezes."):

Eco é uma energia que volta ao emissor após ela incidir em uma superfície refletora, correto? Pois então, se nós considerarmos que o pensamento e o sentimento são energias, em um sentido amplo do termo, quando a gente expressa um pensamento ou um sentimento nós externalizamos essa energia, ou seja, nós damos vida a ela.

Voltando à pergunta inicial, sobre a arte de se relacionar com as outras pessoas.

O mais legal da vida é exatamente a existência do eco, pois se a gente expressa um pensamento, ou seja, uma idéia, ou um sentimento, como, por exemplo, dizer para alguém "eu te amo", e este alguém, no caso do sentimento, ou ninguém, no caso do pensamento, pois este pode ser transmitido a várias pessoas simultaneamente, como este meu post, responde, então tudo fica muito sem graça.

E isso se aplica em diversas áreas da vida pessoal: em casa, no trabalho, no amor, na família.

Em casa: "ficou muito bom esse churrasco que você fez".

No trabalho: "parabéns, a tarefa que você entregou ontem à noite ficou ótima".

No amor: "a noite que passamos juntos foi maravilhosa".

Na família: "obrigado por ter vindo me visitar este final de semana".

Agora, gostaria de fazer um parênteses: novamente, do wikipedia, sobre a definição de eco: "É necessário existir um obstáculo que esteja a mais do que 17 metros de distância da pessoa que emite o som".

E o que isso quer dizer? Bem, simplesmente isso, que é preciso haver uma distância mínima de 17 metros entre quem emite o som e o obstáculo (o ouvinte) que reflete o som de volta ao emissor para que exista o eco, ou seja, em todos os casos acima, essa lei também se aplica.

sábado, 14 de março de 2015

Uma noite nova

Era dezembro, o natal estava próximo. A família se reunia mais uma vez na casa de praia. Muitos vieram de longe para o encontro festivo. Os primos contavam as novidades do ano que passou. Muitas realizações de ambas as partes. Havia algum tempo que não se falavam. A vida moderna exige de cada um de nós uma dosagem de energia quase inimaginável em séculos passados. O tempo é um artigo de luxo. As pessoas são absolutamente muito ocupadas. Entretanto, mesmo com essa correria do mundo moderno, elas encontram um tempo para pensar e conversar. E são esses momentos, ainda que poucos, que fazem a vida valer a pena. Fosse apenas trabalho e estudo, de que serviria viver? Ser apenas mais um, uma peça de uma grande engrenagem? Nessas condições ninguém seria capaz de encontrar a verdadeira felicidade, qual seja: a de ser um alguém. Ser um alguém para outro alguém. É disso que estou falando. Não de ser uma mera posse, mas de ser alguém, que tem um valor sentimental, não concreto, um valor abstrato, algo que não se pode comprar na loja da esquina.

Por mais severa que seja a vida, ainda há algo de belo a apreciar. Nem que seja admirar a natureza. A fauna e a flora do planeta. Certamente, qualquer um de vocês já ficou encantado com a beleza extrema dos pinguins ou das baleias em alto mar. O lindo canto dos pássaros, ou o doce canto dos grilos ao anoitecer. A vida é bela, tenha certeza disso. Concordo plenamente com a consciência de que nem para todos ela sorri. Mas ainda assim ela é bela. Todos têm a oportunidade de recomeçar. Se não a tem, deveria ser um dever do Estado provê-la. Tudo bem, nem tudo está certo no mundo, pelo menos no que diz respeito à obra do homem neste mundo. Porque a obra de Deus, esta sim, é perfeita. Ou existe algum desequilíbrio na natureza que não tenha sido obra do homem? Chego a pensar que o mal do mundo é o homem. Mas aí me lembro que este também foi obra de Deus. É, talvez a obra de Deus não seja perfeita...

Insônia

Mais uma noite daquelas. Mas daquelas mesmo. Em que o sono finge chegar, mas quando deito a cabeça no travesseiro vem tudo de novo. Pensamentos e mais pensamentos. Nada de apagar. Apagar mesmo, só o das luzes. Desisto. Fumo um cigarro. Escrevo. Eis eu aqui outra vez. Mais uma história? Talvez. Será boa dessa vez? Só você, leitor, dirá. Penso no que escrever, nada vem. Talvez mais um romance policial. Não. Dessa vez será outro devaneio filosófico no estilo Franz Kafka. O processo, a metamorfose. Qualquer um. O meu é melhor. Sem dúvida. Ele viveu há muito tempo, morreu em 1924. Nunca ouviu falar de internet. Escrevia com papel e caneta. A minha produtividade é muito maior. Minha consciência, mais desenvolvida. A gama de impressões que nosso ser é capaz de absorver nos tempos do século XXI é incomparavelmente maior do que em meados de 1900. Ele nunca bebeu um energético para acordar, nem tomou rivotril para dormir. A psicanálise ainda era nascente. Hoje temos muitas opções para expandir a consciência. Inclusive para potencializá-la.

Em minha modesta opinião, a vida do século XXI é a melhor de todos os tempos. Temos acesso a informação em tempo real. Temos acesso a serviços de saúde inimagináveis. Temos tecnologia e higiene. Quem de nós trocaria a vida de hoje pelo remoto século XV? Pragas, fome e desastres sem um Estado poderoso para intervir e corrigir os problemas ou regular a economia. A globalização nos permite voar de um continente a outro em menos de 24h. Pega-se um trem-bala em Londres e em duas horas estamos em Paris. Um avião de Lisboa e estamos em Berlim. Quem trocaria essa realidade por uma viagem a cavalo de 12h para ir de Porto Alegre a Imbé? Não tentem me enganar. Vocês amam o século XXI. Eu também. Um clique e pronto, lá está a página daquele site de entretenimento ou de rede social. Basta ligar o computador, a qualquer hora do dia ou da noite, para conversar com algum amigo perdido pelo mundo. Imagine você mandar um carta para um amigo ou para aquela pretendente e receber a resposta duas semanas depois. Ninguém trocaria.

Sem falar na TV a cabo. Dezenas de canais, 24h por dia. Um filme, uma entrevista, um jogo de futebol. Tudo ao alcance do controle remoto. Ou será que aquele circo itinerante era mais interessante? Duvido. Verdadeiramente, houveram bons espetáculos em séculos passados, mas os de hoje são infinitamente melhores. Se eram bons, era porque não havia outra opção. Então, entre achar A melhor do que A, é claro que A é o melhor. O problema é que hoje temos o alfabeto inteiro, isso tem levado muitos ao psicanalista. Há, há, há. Brincadeira. Eu também gosto do psicanalista. De vez em quando ele tem algo de útil para conversar. Sabe, a psicanálise é uma experiência bem interessante. Pagar caro para falar sobre futebol com um cara que eu não estou nem aí. Verdade, ou vai dizer que você já convidou o seu psicanalista para uma festa de natal? Eles só servem para isso mesmo, ouvir o que ninguém quer ouvir. Ou o que você não teria coragem para falar com ninguém. É por isso que eles cobram caro. Senão era de graça mesmo. Como uma conversa de bar. Mas tudo bem, eles tem um vasto conhecimento científico nas costas. São pessoas que podem realmente te fazer endireitar.

Bem, esse parece ser apenas o primeiro texto da noite, o sono parece ter tirado férias mesmo. Então vamos lá, porque lutar uma batalha perdida. Talvez um café me faça dormir. Mesmo. Ainda não decifrei os enigmas do meu ser. Meu metabolismo parece diferente. Café nunca me tirou o sono. Chego a pensar que me faz dormir. Talvez o efeito relaxante de tomar uma xícara de café. Não sei. O ritual, sabe. Aquilo relaxa mesmo. Ao menos para mim. É um raro prazer. Apitou! O micro-ondas. O café deve estar pronto. Boa noite.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Sobre o tripé macroeconômico brasileiro

Metas de inflação, câmbio flutuante e autonomia na administração da taxa básica de juros da economia pelo Banco Central são os alicerces da política econômica brasileira adotada no país desde 1999. Abaixo segue comparativo da evolução cruzada desses índices para o período.

Como pode ser observado abaixo, o Banco Central brasileiro continuou reduzindo a taxa de juros em meados de 2012. Entretando, o ipca mudou a sua trajetória cadente e passou a subir no meio desse processo. Nesse momento, o BC deveria ter interrompido o processo de redução da taxa de juros para, logo em seguida, voltar a subir os juros a fim de conter esse processo inflacionário, o que ele não fez.



Adicionalmente, a taxa de câmbio brasileira já vinha em trajetória ascendente, o que indicava claramente que haveriam contínuas pressões inflacionárias. Esses dois índices em conjunto, trajetória ascendente do ipca acumulado em 12 meses e depreciação cambial frente ao dólar, num regime saudável de metas de inflação, onde o BC tem autonomia para definir a taxa de juros sem interferências políticas, são elementos suficientes para orientar a autoridade monetária no sentido da elevação da taxa de juros básica da economia, no caso do Brasil, a taxa selic.


Como isso não foi feito, a independência do Banco Central brasileiro foi posta em cheque e, com ela, a credibilidade do governo em conduzir adequadamente as expectativas econômicas, o que cabalmente provocou o atual estágio de razoável descontrole econômico brasileiro. Por fim, segue cruzamento do ipca com a taxa de câmbio, onde é possível perceber claramente o estrago causado pela interferência política no trabalho do Banco Central a partir de meados de 2012: contínua depreciação cambial e deterioração do índice inflacionário.



Falando em promessas... esquecidas?

De Porto Alegre à Sapiranga de trem: uma realidade próxima

26 de agosto de 2013

A cidade de Canoas vai receber um aeromóvel entre o bairro Guajuviras e a estação Mathias Velho do Trensurb

06 de março de 2013

Parece que este está andando...

Canoas pretende ter 15 aeromóveis a partir de 2016 - Obras devem começar no final do primeiro semestre do ano que vem (2015)

19/12/2014

Avenida Perimetral metropolitana de Porto Alegre

Promessa feita em 2014 para ser entregue em 2023! Será que demora tanto assim? Enfim, importante acompanhar se mais essa promessa vai acabar em pizza.



Fonte

quinta-feira, 5 de março de 2015

O sonho: metrô de Porto Alegre em 2030 (?!)

Singela sugestão de mapa para um futuro sistema de metrô de Porto Alegre.


Abaixo segue traçado existente do trensurb (em vermelho) de Porto Alegre até Novo Hamburgo, bastando um pequeno acréscimo na linha até a Feevale para conectar-se com as futuras linhas (!) de trens regionais: Taquara - Montenegro e Dois Irmãos - Estância Velha, além do ramal Três Coroas - Parobé.


Abaixo segue uma possível segunda etapa do sistema metropolitano.



Será que o petróleo ainda dita as regras?

Para responder a esta pergunta apresento uma série de comparações entre a evolução do preço do barril de petróleo e a bolsa de valores de diversos países. São apresentadas comparações dos países do BRICS, de países ricos e desenvolvidos, de países emergentes, de países grandes e pequenos, e de alguns países produtores de petróleo.